domingo, 21 de janeiro de 2018

“Elite” Indignada
A imprensa nacional mostrou a transferência devidamente algemado pelos pulsos e tornozelos, seguindo alguma regra carcerária a respeito, do bandido já condenado há mais de 7 décadas de prisão, o ex governador, senador, deputado pelo Rio de Janeiro, Sergio Cabral do PMB.
O fato que ensejou essa transferência do politico e agora, sabe-se lá como conseguiu votos para os vários pleitos e cargos públicos eletivos, e que, no desempenho dos diversos mandatos calçou as alpercatas da extrema humildade e da filantropia franciscana e distribuiu esmolas entre os menos favorecidos e jamais amealhou para si bens ou riquezas legais ou ilegais e também para os seus familiares, auxiliares e amigos. Ou seja um verdadeiro São Francisco Cabral do século XX e XXI.
A referida transferência da carceragem do Rio de Janeiro para as grades em Curitiba, tem finalidade coercitiva disciplinar, tendo em vista os vários atropelos às regras prisionais cometidos pelo apenado e todo poderoso politico carioca, concretizado no recebimento de produtos alimentícios de primeira linha e outros, bem como o trânsito livre no interior da carceragem, comportamentos a mostrar o tratamento diferenciado  e que, os olhos vendados voluntariamente pela direção da casa de detenção fazia vistas grossas ou cegas mas que, não fugiu ao olhar do Ministério Público esses comportamentos internos.
O ato da referida mudança prisional gerou indignação nos defensores do pobre e humilde presidiário e por que não indisciplinado e que, pelo comportamento arrogante e ameaçador, inclusive perante autoridade do judiciário, ainda não se despiu do status de ontem e ainda se arroga o direito de receber e ter diante de si colunas vertebrais curvadas, joelhos no chão ante sua pessoa e imagem por todos prestigiada e bajulada até ontem.
A reação de agentes da sociedade nacional, indignada pelo tratamento dispensado ao presidiário Sr Cabral, torna-se muito estranha e que, qualquer cidadão mais atento, incontinente questiona: por que reação e indignação idêntica jamais foi vista, esboçada ou lida, quando apenados sem poder econômico e simples membros da sociedade carcerária do País, passam ou são submetidos a idêntico tratamento? Por que essas vozes não se levantam e veementemente protestam ante as superlotações e indignas condições humanas nos presídios brasileiros e que, reiteradas vezes o noticiário mostra.
Tanto é que vez em quando os próprios internos realizam suas ações de protesto e normalmente muito violentas, pois sabem até, que verbas públicas destinadas também às melhorias carcerárias são desviadas, inclusive para patrocinarem jantares em Paris e presentear madame com caríssima jóia e outros vários desvios ilegais.
Mas é compreensível, pois enquanto o “massacrado e humilhado” Sergio Cabral não tem poder econômico para arcar com os honorários de seus advogados e assim, eles o atendem e servem sem onus; a massa de internos que se rebela, mesmo tendo muito dinheiro em paraísos fiscais, recusa-se a pagar o custo da petição em qualquer ação judicial e portanto, os honorários do trabalho do causídico seja famoso e conhecido ou não.
A sociedade brasileira está no limite da tolerância ante tanta violência e bandidagem de ricos, poderosos e até dos pés descalços e, deduzo que se fosse feita uma enquete sôbre a transferência e a maneira como foi feita, do Sr Cabral, se alguem condena e desaprova? Os aplausos e o aprove-se virá ou viria da maioria.
Pois bandido é bandido! Cidadão de bem é outra situação, aqueles os rigores das leis e a estes, seus direitos nas leis. Por isso é que a elite fica indignada, pois se acredita acima do bem e do mal, de tudo e de todos e por isso inatingível. Mas os tempos são outros.
Lúcio Reis
Belém do Pará-Brasil em 21/01/2018

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Escolha de Ministro

Mesmo que se pretenda ou deseje ter toda boa vontade, fica impossível entender e concluir como ações sérias e responsáveis, administrativamente olhando, as decisões e escolhas do Presidente Temer inerentes aos seus auxiliares mas precisamente, ministros.
Sim! É verdade inarredável, o mundo politico brasileiro não se reveste com o manto da idoneidade e nem tampouco, percebe-se o mínimo de intenções em revestí-lo com alguma credibilidade e racional seriedade.
A rigor em termos de curriculum, praticamente em nada difere das escolhas e opções da presidente sua antecessora, posto que, normalmente o, a escolhido ou escolhida, tem um passado que todos sabem o que por lá fizeram e foi feito e, natural ou lamentavelmente são mal feitos e que geraram processos, denúncias criminais aceitas e até descumprimento da CLT, leis trabalhistas, como é o caso da deputada Cristiane Brasil e agora ungida como Ministra do Trabalho.
Há que se convir, num gesto de boa vontade, que o Presidente não seja obrigado a ter ciência da vida de cada parlamentar brasileiro, pois são milhares e só no congresso brasileiro são 513, mesmo ou apesar do serviço de inteligência disponível a lhe prestar informações, pois afinal o interesse nacional, a priori, é o que deveria vigorar preferencialmente, mas não é essa a realidade nua e crua.
O ministério atual é composto por vários cidadãos que são peças ou partes chaves em processos judiciais e que portanto, são qualificados como fichas sujas.
Já não bastasse essa real situação, Sua Excia convida para ocupar a pasta do trabalho exatamente a detentora de mandato eletivo e que, por duas vezes figurou como reclamada em ações judiciais trabalhistas por atropelar flagorosamente e descumprir a CLT e nas quais foi condenada, pois o primordial e elementar cumprimento, assinar CTPS do trabalhador não foi cumprido.
A deputada tenta enganar a sociedade declarando que se defendeu nos processos mas, quem tem a mínima noção desse tipo de ação, sabe que a pessoa que a representou compareceu ao juízo, apenas para não configurar de pronto a revelia e confesso, não se desempenhou satisfotariamente, posto que na oitiva da preposta da reclamada - a deputada - ficou caracterizado e configurado que a mesma tentou ludibriar mais uma vez a justiça e tanto é que, pelas respostas da representante da empregadora, o juizo a julgou revel, pois a inquirida nada sabia a respeito da relação laboral e portanto, foco principal do processo.
Ora vejamos, caros brasileiros, essa deputada, com esse comportamento forma e compõe no parlamento brasileiro, onde são elaboradas leis em defesa e proteção do cidadão e do trabalhador também.
Agora foi conduzida ao ministério que se destina ao zelo dos interesses do trabalhador. Convenhamos que há de se questionar: que austeridade e isenção possui essa senhora para exercer e com lisura desempenhar a função ministerial? Com que autoridade moral chega no Ministério para administrar e ter sob sua subordinação funcional o quadro de auditores do trabalho da pasta?
Como se pode constatar o Presidente que tanto se empenha em aprovar a reforma da Previdência, com a desculpa de que logo mais não haverá caixa para pagar benefícios, dando a entender seriedade e responsabilidade, incoerentemente não demonstra esses mesmos zelo ao escolher seus auxiliares e por via de consequência, não há como o cidadão de bem e atento às suas ações administrativas lhe depositar o mínimo de credibilidade e eis aí a realidade das pesquisas de opinião sobre seu governo.

Lúcio Reis
Belém,Pa-Brasil em 05/01/2018


segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Moeda do Natal Brasileiro

Tudo se iniciou há mais de dois mil anos, quando Ele se fez homem, Maria foi escolhida como mãe e, com seu nascimento vieram as lições que deveriam ser seguidas pela humanidade, tal como humildade principalmente e, simbolizada pelo berço na manjedoura.
Os milênios passam mas, pela divina e grandiosidade do evento, o mundo cristão o celebra a cada ano e neste ano que ora finda, não foi diferente também aqui entre nós brasileiros e em todas as nossas regiões.
Os meios de comunicações e de modo especial as redes sociais colocam ou transportam via selfies, domésticas fotos ou filmagens os amigos, familiares e contatos reciprocamente para dentro dos seus ambientes tomando e fazendo parte à mesa da ceia natalina ou no ambiente que o clã escolheu à realizar sua confraternização e até mesmo se o encontro ocorrer fora do País, como que, o abraçar seja facilitado no seu concretizar, e o dividir lágrimas de emoções possam molhar a face osculada.
Há muito, portanto, é assim! Mas, neste dezembro de 2017, houve a introdução de um componente que, pelo menos ao meu Natal e portanto, escrevo na primeira pessoa e compatível com o meu estilo, que é testemunhar do passar as festas de fim de ano, e este 25 de dezembro especialmente, de alguns figurões da república atrás das grades, encarcerados, cumprindo sentenças judiciais legais, por crimes cometidos ao longo de décadas, realidade que se iniciou com as sentenças do mensalão.
Aqui posso citar a título de ilustração: Paulo Maluf, Geddel Vieira, Eduardo Cunha, Sergio Cabral e tantos outros que, enquanto inúmeras familias Brasil a fora, em pleno Natal perdiam entes queridos em acidentes de trânsito em estradas em precárias condições de  conservação ou em hospitais sem a mínima estrutura de atendimento médico hospitalar, ou olhando para estradas ou hospitais, cujas obras se iniciaram e foram paralisadas ante o brutal desvio de verbas públicas e se tornaram inacabadas sem serventia e exemplo vivo de desperdicio do erário mas que, enriquecendo a vida de agentes públicos, de maneira especial aqueles que “conquistam” mandatos eletivos, como dito acima Sergio Cabral e seus quadrilheiros que debochavam e tripudiavam sobre a dor do brasileiro menos favorecido, celebrando a vitoria do desvio administrativo com guardanapos na cabeça, como ramo de louro de vitória da corrupção sobre a miséria do pobre contribuinte e usuário e, por isso inumeros iguais a ele e que pontuam na politica em cada unidade da federação, hoje em função da Lava Jato, vislumbram um Natal bem diferente dos que passaram até hoje.
Alguns poderão dizer ou exclamar! Que coração duro! Humildemente cabe-me apenas lembrar que foi Jesus quem expulsou os vendilhões do Templo na base do chicote e este, por certo não aspergia água benta ou de colonia.
Os politicos malfeitores que destroçaram a caminhada desta Nação e sua prosperidade e que inverteram e quebraram a ordem legal, estão colhendo os frutos legais das sementes ilegais que semearam nos anos passados e a cada mandato eletivo, com deboche, mentiras e promessas vãs.
Por isso mesmo, basta observar nas redes sociais que as fotos transmitem, mesmo que sentimento intrinsico ao subconsciente, alegria e indisfarçável satisfação e contentamento eloquente no seio familiar, que com o afastamento dessas pestes ou ervas daninhas do meio social e politico, a sociedade brasileira poderá respirar ar mais puro, saudável e cheio de esperanças e encontrar e ter o ambiente mais propicio às boas e uteis realizações e menos cinismo, mesmo que milhares de trabalhadores ainda amarguem o desemprego.
E não podemos fazer vista grossa que, os mesmos que ainda não estão atrás das grades, mas que os processos tramitam, segundo o noticiário, como Aécio Neves, Romero Jucá entre outros por exemplo, já ensaiam seus retornos aos parlamentos, via urnas em 2018, quando buscarão a reeleição e, será nessa oportunidade que poderemos, como brasileiros que amam o Brasil e na condição de eleitores que somos, cooperar com a Justiça Nacional, não reconduzindo-os à cadeira no parlamento ou no executivo e por consequência retirar-lhe a prorrogativo de foro e lhes conduzir à companhia do Paulo Maluf.
Hoje podemos qualificar o Natal Brasileiro como uma moeda, em cuja face está a alegria e satisfação do cidadão livre, sério e honesto com seus familiares e na outra, a face crispada, a coluna curvada do politico bandido, condenado e “celebrando” sua prisão pelos crimes cometidos há anos e reiteradas vezes e na companhia dos meliantes de sua laia.
Lúcio Reis

Em Belém, Pa-Brasil 25/12/2017

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Premio Nobel e o Missil
Como é sabido de todos, a cada ano várias cabeças iluminadas, dos mais diversos países são laureadas por um dos premios nobel nas suas várias categorias e, em função da ação de cada um ou grupo de seres que se empenham em estudos, pesquisas anos e mais anos e como resultado de seus estudos ou iniciativas, fizeram descobertas benéficas ou atuaram em prol de bem comum, da paz, em fim do bem para todos indistintamente.
E assim, há o Nobel da Literatura, da Ciência e nesta, em algumas de suas ramificações, como a descoberta de uma vacina, da cura para um pernicioso mal e etc...
O interessante que se observa, é que no resultado prático do trabalho de alguns laureados,  a humanidade vê, sente e constata no dia a dia o resultado benéfico, como por exemplo, da vacina para evitar a poliomielite e, de uma maneira bem especial também, o avanço das técnicas no campo das cirurgias cardios vasculares, tal como o implante de proteses valvares e, neste ítem este autor é prova viva desse procedimento, posto que há mais de 18 anos foi-nos implantado uma protese de valvula aortica.
Mas, pode-se lembrar que milhares de centenas de individuos, hoje tem condição de vida normal e conduzem vivem em seu organismo com órgão doado por alguem, tal como figado, rim, coração e etc...
Seria muitíssimo bom e louvável que todos os premios nobel, tivessem como resultado o útil e positivo que se constata na medicina mas, há um que tristemente a realidade não concretiza seu efeito benefico que amplamente deveria ser. Pode-se apenas dizer, por dedução que, talvez a realidade fosse mais cruel, muito mais peversa e triste do que já é, caso não houvesse sido instituido o Premio Nobel da Paz.
Pode soar ignorante ou sem noção o que disse acima mas, o fiz ante a realidade do dia a dia atual, aqui em nosso País e mundo afora.
A violência é uma constante e crescente realidade. A Coreia do Norte, por exemplo, a cada dia, por seu todo poderoso Kim Jong, brinca de festa junina lançando no ar um missil de longo alcança e nessa estrepolia fustiga o Tio Sam e o seu não menos destemperado morador da Casa Branca, o qual por sua vez, também é adepto de mostrar e demonstrar supremacia bélica e disposição para invadir o quintal do vizinho ou intrometer-se em assuntos politicos de outras nações.
A natureza por sua vez, parece alertar ou como que pretendesse mostrar como é fácil devastar algum território e aniquilar centenas de vidas e apenas dá uma arrumação no planeta e, como um brinquedo quebra toda uma cidade, como o foi recente no México e, por certo, assim será também ou pior a devastação que o homem causará ao mundo, caso resolva brincar de guerrinha e acender o pávio ou apertar o disparo de um desses brinquedinhos de destruição de massas, de espaços territorias, da atmosfera e da vida no planeta.
Os fatos decorrentes ou recorrentes, até dão-nos a entender ser uma guerra de contradições, pois enquanto alguns avançam nos métodos para salvar, melhorar a condição do viver e aumentar a longevidade, uns outros atuam para construir a destruição  em massa e semear a dor.
Mas o que há de real é que estejamos alertas, pois são os ditos seres racionais que tem a capacidade para “acender estopim” e pressionar botões e não os ditos irracionais, pois entre estes prevalece a paz, mesmo sem que qualquer um tenha seu indiscutível Nobel.

Lúcio Reis   
Em 28/09/17

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Imoralidade
Há que se ter em mente, e a cada realidade do fato indecente, que o Brasil, com a presença dessa gente nos poderes, é carregado, rolado e conduzido para situação a mais pavorosa e indigente, ante cada procedimento protagonizado descaradamente sem limite e o mínimo resquício de escrúpulo, a partir da aurora ao crepúsculo, banalizando o crime e atirando no lamaçal os valores sociais, legais e morais e, por via de consequência o futuro revestido com responsabilidade cívica nos porões cruciais do estupido e desenfreado atos, a pisotear no que é moral e legal e dessa formula tripudiando sobre o cidadão de bem desta Nação.
A velha guarda ou gerações de ontem, não engolem esse veneno que se mostram como remedio do bem, ministrado em diárias porções mas, o que esperar da meninada dos games e dos eletrônicos avançados e, de maneira diferenciada a que se deixa conduzir pelo respirar da “baleia azul”, se estão sendo criados num ambiente poluído e, a ela só é mostrada a face cruel e peversa das atitudes cínicas, do banditismo encrustado na função da constitucional autoridade com o manto da imoralidade e parcela dessa gurizada cresce num lar, cujo patriarca ou matriarca formam nas quadrilhas que infestam o dia a dia nacional.
Não se vislumbra um futuro auspicioso, pois logo mais faltará espaço para tanto mafioso e, quem sabe nos restará apenas uma sociedade composta por um povo sem noção de seriedade, a entender e acatar que há ou deveria haver o limite individual a nortear o direito de um e a principiar a obrigação do outro e, as duas para o respeitar.
É triste e angustiante a constatação de um povo muito pobre, todo engravatado que privilegia o ter todo dinheiro e pisoteia no vizinho, engana o companheiro, mente para o amigo parceiro e cada segundo, empobrecem com o bolso transbordando dinheiro.
Existe receita para curar toda essa imoralidade, deslealdade e traiação. Basta a geração de ontem não se calar, mostrar ao jovem o que virá, e o inicio é não reeleger os que aí estão e já mostraram reiteradas vezes que os seus  objetivos são incompatíveis com os anseios sociais e, realizada a cura via urna haja a possibilidade de ser ante-visto o prosperar e o crescimento para todos, pois o que se vê hoje no Brasil é só a receita para adoecer a Nação e matá-la de desgosto e do coração.
Lúcio Reis
Em 06/07/2017
Belém do Pará


quinta-feira, 22 de junho de 2017

Mentes e suas Mentiras
Foram semeadas por estas plagas, em alguns momentos sementes de pau brasil e quem sabe, ou alguém viu, também de jacarandá, aquela que diz onde eu mandar, vou e senão for, apanha um bolo, e pelo visto enxertadas com sementes de óleo de perobá. E a colheita que hoje se constata, são sementes de mentes que só mentem, as caras não tremem e lustram, brilham ante as câmaras e no noticiário aqui no Brasil e mundo afora.
Hoje se constata que nosso País só não é mesmo uma ilusão, pura ficção ou conto de fadas, por que é muito maior do que as mentes mesquinhas e mentirosas, que se agrupadas lotariam um vasto continente, mas que, não conseguiram ver e nem enxergar, pelo fato de que estavam frequentando a mesma sala de aula da mentira, em curso de aperfeiçoamento na arte de trapacear e doutorando-se no mentir e enganar uma sociedade por completo.
Basta ler e tomar conhecimento da carta escrita pelo Eduardo Cunha na cadeia, os depoimentos nos mais variados processos e frente aos diversos magistrados, quando o depoente conta uma versão mas que, em seguida, por outro depoente, ex aliado e companheiro de falcatruas é confrontada e mostrado ser deslavada mentira e assim, como numa corrente, cada elo acrescido é a mais recente e brilhante mentira.
As mentiras republicanas não estão na boca ou na mente de uns poucos mas sim, é como uma praga que a todos afetou e contaminou seria e solenemente.
O pior é que essa síndrome de pinoquio, parece jamais ter fim, pois como o território nacional é enorme, essa praga da mente que só mente, está em todo local e de maneira especial e concentrada onde há o mel do erário, a funcionar como o mais propicio foco a fazer a maldita praga prosperar largamente.
Quem sabe ante demasiadas mentiras no ar, o brasileiro sofra um surto de verdade e retire da vida pública os mentirosos e suas mentes poluídas e corruptas que, passaram a crer que uma mentira repetida inúmeras vezes vira uma verdade inconteste e assim, é só esperar o outubro de 2018 e promover a lavagem geral, retirando esses mentirosos dos parlamentos sem perdão e alegremente.
Depois de não mais sermos vistos como dementes, dá até para compor o que se segue:
No Brasil há mente de toda sorte/ Gente de mente mentirosa/ Transitando engravatado e forte/ Nos poderes e todo prosa/ Da para compor em rima e prosa/ E até mesmo é possível mudar/ O Zé Carioca nosso representante/ Pelo Pinoquio deselegante/ E nele colocar sem cerimonia/ Um bottom de politico da hora e do dia/ Com porte austero e brilho pórtico/ Mas no fundo para cada um ver/ Pelo modo de atuar e ser/ É autêntico corrupto no poder.
Lúcio Reis
Belém do Pará

Em 22/06/2017.

sábado, 17 de junho de 2017

Grão de areia e o Pedregulho
É sabido que o crime não compensa e que, a qualquer hora o criminoso tropeça num grão de areia e se esborracha no chão, mesmo já tendo transposto, pulado, escalado algumas ou mais montanhas, dando a concluir até, que no Brasil o delito compensa sim.
O Brasil e a Presidência da República vivem a espera, a expectativa  da perícia que ora se desenrola na Policia Federal e há dias, vem sendo realizada sobre e nas gravações que o cidadão Joesley Batista fez de seus diálogos com os Presidentes Michel Temer, Aecio, respectivamente do Brasil e do PSDB e, também com a irmã do senador mineiro.
Não é a primeira vez que perícia dessa natureza é realizada e também, não é a primeira vez que gravações desse naipe é feita, pois basta lembrar que não faz muito o Sergio Machado ex da Transpetro, também gravou figurões da República e envolvidos em desvios de condutas. Pois  afinal, no fim do corredor ou quando o nó aperta, todos negam os crimes e nenhum assume portar o botom de delinquente sobre o erário.
Na presente e mais recente gravação, porém, há itens de muita relevância a serem considerados, posto que ela avaliza a delação premiada de um dos donos da JBS e as conquistas das regalias homologadas judicialmente, como não usar tornozeleira eletrónica, não devolver passaporte e até mesmo sair do Brasil.
Alem do acima as personalidades gravadas estão no topo de poderes brasileiros, não são participes de um litigio de condomínio residencial e, de maneira especial trata-se do Presidente da Republica.
Há de se convir, portanto, que o empresário teria que ser muito infantil, em não supor ou desconfiar que, o que iria realizar se revestiria de gravíssima seriedade e que, simplesmente o faria, depois editaria a midia e ninguém solicitaria a realização de uma perícia e que, toda a bagunça ficaria no dito pelo não dito e ele usufruindo de sua trama sem nenhum contra tempo. Ou seja teria que ser um perfeito amador ou simples idiota.
Ante a audácia que lhe foi conferida pela força de seu poder financeiroe empresarial, por sua aproximação, de certa forma, intima com os poderes republicanos e a pobreza dos caracteres em termos éticos e morais que pontuam nos gabinetes e corredores dos poderes neste País, e por isso tudo o abrir de fechaduras de palacios, gabinetes e etc…com as chaves de seus milhões de reais, para os quais, nem limites de horários há, não é possível imaginar que cometeria a infantilidade de mandar editar a gravação, posto que, a mesma só corrobora o seu desencaixe de milhões de reais para o encaixe nos bolsos de quase dois mil componentes da politica partidária do Brasil.
Por isso há que observar que, a mediocridade nacional tem como revigorante e há anos, o valor de uma ou de muitas cédulas de dinheiro.
Por isso é possível arriscar qual será o resultado da referida perícia: “não há nada de errado com a mesma, a não ser a qualidade propiciada pelo aparelho, o qual não chega a altura de um James Bond ou Sherlock Holmes.
Logo há que se questionar: o empresário, depois de galgar montanhas e montanhas, estando no cume, desceria ao sopé para tropeçar num grão de areia?
Lúcio Reis
Em 17/06/2017

Belém do Pará